Wednesday, April 07, 2010

147


ouvir thelonious monk não é tarefa fácil...ainda mais pra ouvidos puristas e tradicionalistas...até porque sua técnica como instrumentista ainda é (injustamente) 'posta em xeque' .

mas, o pianista e compositor (1917 – 1982) tem dentro de seu legado musical, temas consagrados pelos ditos 'virtuoses' do jazz, listados entre os grandes 'standarts' em todos os tempos...'ruby, my dear' e 'round midnight' (inclusive rendeu até título de filme) são exemplos.

*ruby, my dear (solomonk)






o que eu não conhecia, entre tantas gravações em homenagem à obra d0 compositor, é esse discaço do pianista panamenho, danilo perez , 'panamonk' 96 .

ao acompanhar as postagens mais recentes dos 'blogs bacanas' (linkados ao lado), vi a foto de mr.monk no farofa moderna (vagner pitta)...fãzão que sou, imediatamente, cliquei pra acessar as novidades e lá está, entre outras dicas desse post, o cd supracitado.
*deixo aos incautos internautas uma versão muy latina de 'think of one' ...danilo perez (pi)/terri lyne carrington (drs)/avishai cohen (bs)


*boa audição e abraçsonoros

*ps. a versão de 'round midnight' que mais curto é a do master miles davis.

9 comments:

Paul Brasil (Paul Constantinides) said...

duas delicias musicais pituco.
telonius faz um som adoravel e compenetrante.
abs
paul

pituco said...

é isso aí, paul,

as construções harmônicas e melódicas de thelonious monk são piramidais...além, de uma personalidade e originalidade marcantes...'round midnight é um clássico, assim como a sonata op.27 (moonlight sonata) é outro clássico...e assim por diante...não é isso?

abraçsonoros

Érico Cordeiro said...

Assino embaixo, Seu Mr. Pituco.
O Monk é obeliscal.
Não conheço o disco do Danilo Perez, um baita pianista, com um trabalho prá lá de bacanudo com o Wayne Shorter e o Roy Haynes, entre outros. Mas deve ser de primeira (a faixa postada e os acompanhantes sinalizam para um disco piramidal).
Grande abraço, meu embaixador!!!

pituco said...

érico san,

valeô a visita...e vale a audição do panamonk.

abraçsons

blog said...

Monk, sempre ele a nos mostrar os bons caminhos.
Num duo com Rollins: pouca coisa há de melhor no jazz.
Gênios, ambos.
Valeu, caro Pituco.

p.s. vou te enviar um mail. Fique atento.

Abraço

Grijó

pituco said...

sr.grijó,

obrigadão pela visita, commnet e atenção...ficarei atento, ok?

abraçsons

Laila Guilherme said...

Sou "um pouco" iniciada em jazz, mas relativamente conservadora, e não achei difícil ouvir Monk. Quanto ao Round Midnight de Miles Davis, um trecho dessa versão é usado pela Cultura FM para o programa Jazz, toda noite, à meia-noite (um ótimo programa, por sinal, que dá pra ouvir na internet, é só saber o horário aí...). Ele personalizou bastante a música...

bjs.

figbatera said...

Som bacanaço!

pituco said...

laila,

quando a música tem estética, estilo e coisa e tal...tudo cai bem aos ouvidos e sentimentos...não é isso?

grande fig,
valeô a visita e audição...sonzaço mesmo...e a galera toda tá num entrosamento bacanudo, não é?

abraçsons