Sunday, March 07, 2010

140

a intenção não é transformar esse humilde 'rancho virtual' em obituário...mas, tardiamente, soube do passamento de mais um grande músico (contrabaixista) e radialista, sabá (sebastião oliveira da paz), aos 83 anos, no último dia 23 de fevereiro, em são paulo.

*segue link do blog...cb latin jazz corner...para informações detalhadas.

*eu cheguei a conhecer o talentoso e simpático músico em uma gravação pra seu programa, na rádio jovem pan, lá pelos idos oitentistas...apesar de sua simplicidade e atenção em nos atender, eu era garoto e fã dele e da troupe com quem ele havia tocado...portanto, mantive-me calado e reticente durante quase toda a entrevista...e matutava: 'o que um moleque como eu tem a declarar sobre música diante da estória da melhor música brasileira'!

*que o grande sabá descanse em paz e muito obrigado por sua música.

9 comments:

Paul Brasil (Paul Constantinides) said...

poxa pituco alguem ter tocado no Jongo Trio e no Som Três, como é o caso do Sabá...merece todo o reconhecimento possível, respeito e admiração.

uma pena este lance que rola, da falta de história, memória e que resultam em deméritos.
abs
paul

Érico Cordeiro said...

Pituco,
Mais um dos grandes que se vai.
Importantíssimo contrabaixista, fundador de dois dos grupos instrumentais mais importantes do país, como bem lembrou o Paul - o Jongo Trio (que acompanhou Elis e Jair Rodrigues n'O Fino da bossa) e o Som Três, que contava com o genial César Camargo mariano e que acompanhou Simonal por muitos anos.
Curioso é que eu assisti ao documentário "Ninguém sabe o duro que eu dei", sobre a vida do Simonal, e o Sabá aparece várias vezes, dando depoimentos sobre aquela época!
Siga em paz, Mestre!

pituco said...

paul e érico,

sorte que há esses documentários, depoimentos...mesmo que fragmentados, de nossa estória musical...

porque, como relatei lá no blog joyce moreno, a galera brazuca, onde trabalho, ficou emocionada com as celebrações no funeral do baiano 'neguinho do samba'...mas, quando comentei sobre a morte do johnny alf e toquei algumas canções do mesmo, ninguém conhecia...apenas um sr.japonês da audiência reconheceu 'céu e mar' e 'eu e a brisa'...é triste, não é verdade?

abraçsons

Paul Brasil (Paul Constantinides) said...

bem pituco, levando em conta q vc anda ai do outro lado do mundo...acho impressionante e louvavel que aja espaço para vc tocar musica brasileira e q pelo menos alguem ai reconheceu duas canções do Johnny Alf, acredite q aqui poderia ocorrer algo similar ou pior.

é triste sim amigo.
mas vamos resistindo.
memória, documentar, tudo isto é preservar de certa forma.
um dia tudo volta a tona.
filosofia zen de segunda feira...risos
abs
piramidais
e musa musicais

paul

figbatera said...

Mais um da nossa "família" que se vai...
Irremediável!

Laila Guilherme said...

Mais uma vez vi o filme sobre o Simonal, e mais uma vez lembrei de você, por causa do estilo de ambos de cantar, que julgo semelhante. E isso é um elogio, porque acho que Simonal era talentoso, e você idem! Pois então, Sabá também foi um dos que deram seu depoimento no filme. Se tiver oportunidade de baixá-lo ou comprá-lo, vale a pena!

beijão!

pituco said...

galera, valeô a visita...e vossos comentários retiram a carga fúnebre que pudesse haver na postagem...nosso grande 'sabá' acredito, ficará feliz...

mr.fig,
é verdade...e sempre batalhando pra que o trabalho primoroso do músico não seja em vão...que as novas gerações de instrumentistas e artistas tenham referência nessas fontes tão criativas, não é isso?...valeô

paul,
tudo que publicas em teu blog e comentas poracá, assino embaixo...e não é filosofia zen de terça feira...hehehehe
abraçsons

laila,lindona querida,
pôxa,ser comparado ao simonal é pra lá de piramidal...o cara cantava muito e tinha um carisma enorme...eu sou apenas um cantor latino americano...rsrsrs
bacci mille e obrigado pela visita sempre...

valéria tarelho said...

Pituco, um alento, que pode atenuar o real significado dessas perdas [inclusive a perda de nossa memória musical], é a Internet.
além de preservar a [parca] memória, aqui se difunde, discute, pesquisa, etc... com muito mais alcance, visibilidade, dinâmica...enfim, acredito que a Net supra aí uma carência que até então existia na veiculação da informação.
a digitalização dos acervos tb é uma senhora 'ferramenta'...viva os tempos modernos!

me solidarizo com o seu pesar e compartilho dessa 'estranheza' por não conhecerem a obra dessa fera [no caso, J.A.], mas aqui no Brasil não é diferente, especialmente essa nova geração [não generalizando e/ou esteriotipando] que enaltece as frutas e afins. esperar o que vivendo no país do rebolation? [país onde caiu na mídia, é música. mesmo não sendo].

adorei o 'eu te amo', que videomaker de bom gosto você tem [segundas intenções mode on...rsss]!

beijo grande!

pituco said...

valéria,

verdade...viva os tempos modernos!

aqui na net só não se sabe, quem for preguiçoso, não é isso?...além, de podermos conhecer e conviver com uma galera virtual pra lá de bacanuda.

bacci mille
ps.valeô a visita e audição do vídeo.