Saturday, April 07, 2007

33


Os primeiros versos do jovem LeO são celebrados pelo bardo patriarca, Castelo, em "Canção para um menino poeta".A têmpera do pai que torna ao filho no eterno ato de se recriar.

E Luís Couto condensa esse soneto-homenagem com a densidade precisa de sua melodia.

Já, a mim, coube a intromissão feito um tio distante, interferindo-me com a voz e o violão.


*clique aqui e ouça


O que eu te digo, menino poeta?

Que um dia viu minha lira e a tocou

Com o seu som divino se encantou

E foi flechado em cheio pela seta.


O que eu te falo, meu pequeno artista?

Se a poesia são mil oceanos

Que se espraiam em diversos planos

E em milhares de pontos-de-vista.


Que te protejam as musas pagãs

Que te afastes das letras malsãs

Que tudo seja uma imensa canção.


E se na grande e infinita balada

Tu te perderes no meio da estrada

Te aches logo usando o coração.


namaste

3 comments:

Carlos Castelo said...

Post maravilhoso! Abração do parceiro.

Luis Couto said...

Obrigado Pituco. Sua interpretação é belíssima. Espero que um dia possamos tocar esta (e muitas outras canções) juntos. Abraços aos parceiros.

rogerio santos said...

Grande Canção !
Grande Interpretação !
E mais um abração.
E a benção.